13 de dezembro de 2017

CIRURGIA REFRATIVA A LASER

O que é? A Cirurgia Refrativa a laser é o precedimento cirúrgico para correção do “grau dos olhos” (miopia, astigmatismo e hipermetropia) feita por meio de um equipamento chamado Excimer Laser. Este tipo de cirurgia à laser pode ser realizada através de dias técnicas: PRK ou LASIK, dependendo da indicação para cada paciente. O uso do laser torna a cirurgia rápida e com alto grau de precisão, permitindo o retorno em poucos dias às atividades sociais e profissionais. Aparelhos de […]
13 de dezembro de 2017

CERATOCONE

O que é o ceratocone? O ceratocone é uma doença na qual a córnea desenvolve um formato de cone ao invés de seu formato esférico habitual, distorcendo e embaçando a visão com graus variáveis de miopia e astigmatismo. Apesar de não ser popularmente conhecida como uma manifestação ocular preocupante, o ceratocone é uma condição clínica mais comum do que imaginamos, já que ocorre em 1 em cada 20.000 indivíduos e é também o principal motivo que leva ao transplante de […]
13 de dezembro de 2017

CATARATA

O que é Catarata? Catarata é opacidade parcial ou total do cristalino. Cristalino é uma lente natural do olho, localizada atrás da pupila. Através dela, os raios luminosos convergem para formação da imagem na retina, sendo, portanto, uma estrutura importantíssima para uma visão nítida Quais são as causas da catarata? As cataratas são formadas por depósitos de proteínas ou pigmentos amarelados no cristalino, que diminuem a transmissão de luz para a retina na parte de trás do olho. A catarata […]
17 de outubro de 2017

LENTES DE CONTATO

O que é adaptação de lentes de contato? Adaptação de lentes de contato é um ato médico que consiste em realizar diversos testes com a finalidade de escolher as melhores lentes de contato para cada pessoa, além de orientar quanto ao uso correto das mesmas. Quem é o profissional adequado para adaptar lentes de contato? O médico oftalmologista é o profissional capacitado para adaptar lentes de contato e orientar quanto ao uso correto das mesmas. Que exames devem ser feitos […]
  • astigmatismo
    22 de janeiro de 2020

    Astigmatismo: veja os sintomas, causas e tratamento


    Assim como a miopia e a hipermetropia, o astigmatismo também é muito comum e pode estar associado a outras doenças oculares. Por isso, nós vamos falar mais sobre ele para você entenda melhor.

    O que é astigmatismo

    Ele é causado, normalmente, por causa de irregularidade na córnea, assim distorcendo a imagem, já que os raios de luz não chegam no devido ponto da retina.

    A córnea muda do seu formato normal, que é redondo, e assume uma forma oval, que provoca o erro refrativo e desfoca as imagens.

    Pessoas com a doença podem sentir dificuldades de ver os pequenos detalhes de um objeto ou ler textos, tanto de longe quanto de perto.

    Causas do astigmatismo

    Não há como afirmar a causa, mas mesmo que haja diferentes causas, uma das mais responsáveis é a hereditariedade, ou seja, herança dos pais e provavelmente presente em outros parentes.

    Além da hereditariedade, o astigmatismo pode ser desencadeado por trauma no olho ou pelo ceratocone, que faz com que a córnea tenha o formato de cone, que pode, inclusive, causar um tipo mais grave de astigmatismo, que resulta em necessidade de cirurgia ou do uso de lentes de contato especiais.

    Independentemente do nível de astigmatismo, é necessária uma correção médica para uma visão melhor.

    Sintomas do astigmatismo

    Os sintomas mais comuns do astigmatismo são:

    • Visão borrada ou dupla;
    • Dor de cabeça;
    • Dificuldade para ler;
    • Sensação de ardor;
    • Sensibilidade a luz que pode piorar à noite.

    A intensidade pode variar de acordo com a gravidade do problema. 

    Como é feito o diagnóstico do astigmatismo?

    O diagnóstico do astigmatismo deve ser feito pelo médico oftalmologista, que vai avaliar os sintomas e realizar os exames necessários.

    Quando o problema for diagnosticado, o médico definirá a melhor opção de tratamento.

    Tratamento para o astigmatismo

    O astigmatismo não tem cura, mas é possível corrigir com o uso de lentes de contato, óculos de grau ou cirurgia refrativa.

    Lentes de contato

    As lentes atuam como os óculos na correção da refração, no entanto é necessária uma limpeza adequada, mais cuidado e troca periódica. 

    Por isso, pode dar mais um pouco de trabalho, pois além desses itens, ela pode soltar do olho, incomoda mais do que o comum quando um cílio ou cisco cai e você pode esquecer antes de dormir.

    Os tipos de lentes mais comuns são as gelatinosas e as de vidro, mas são indicadas pelo oftalmologista conforme o caso.

    Óculos de grau

    O astigmatismo pode estar acompanhado de hipermetropia ou miopia, por isso pode acabar precisando de grau adicional, chamado de grau cilíndrico.

    Assim, as lentes para eles são chamadas de tóricas ou cilíndricas, por isso as receitas de astigmatismo possuem o eixo na coluna de grau cilíndrico.

    Cirurgia refrativa

    A cirurgia refrativa possui maior indicação e procura para casos de alto grau de astigmatismo, afinal com ela não há necessidade do uso de óculos de grau.

    Para fazer o procedimento é necessário ter a partir de 21 anos de idade, não ter outras doenças oculares ou sistêmicas e não estar gestante.

    Em nosso caso, usamos o laser de FEMTOSEGUNDO que permite atuar em casos mesmo considerados mais difíceis, sendo eficaz em tratamentos de pacientes com miopia alta ou córneas finas.

    Se quer saber mais sobre cirurgia refrativa veja também:     

    http://www.fernandodiogenes.com.br/perguntas-frequentes-sobre-erros-refrativos-cirurgias/

      

    http://www.fernandodiogenes.com.br/cirurgia-refrativa-o-que-e-e-quais-os-seus-beneficios/

    Você sente alguns dos sintomas de astigmatismo? Agende sua consulta aqui.

    Leia mais
  • teste de visao online
    15 de janeiro de 2020

    Teste de visão online: saiba se você deve procurar um oftalmologista


    Quando procurar o oftalmologista? Ninguém se faz essa pergunta até que precise, ou ao menos não sabe que tem algum problema na visão até que a coisa comece a ficar feia. Nós fizemos esse teste de visão online, então se você já começou a sentir alguma diferença na qualidade de como enxerga as coisas, foi para você que fizemos ele.

    Se você sente dificuldade para fazer as atividades do dia a dia, como ler, escrever, enxergar de perto ou de longe, precisa consultar o oftalmologista.

    Daltonismo

    O daltonismo é um distúrbio visual, que tem como principal característica a dificuldade para distinguir algumas cores, pois interfere na percepção delas.

    Quem tem daltonismo tem problemas para distinguir as cores verde, vermelho, e o azul e o amarelo, porém com menos frequência.

    Essa é a característica mais comum do daltonismo, uma parcela muito pequena de quem sofre com ele só enxerga tons de preto, cinza e branco.

    Como quem é daltônico não consegue enxergar algumas cores como a maioria das pessoas enxerga o teste consiste no seguinte:

    Observe essas imagens e se concentre no que vê:

    Se você viu a seguinte sequência de números nas imagens, não é daltônico.

     - 7

    - 13

    - 16

    - 8

    - 12

    - 9

    Se você não é daltônico, saiba que é mais ou menos assim que eles enxergam:

    Sensibilidade a contraste

    O intuito deste teste é perceber os problemas de visão relacionados à iluminação ou contraste, comuns em pessoas com suspeita de doenças oculares como da córnea, degenerativas da retina, catarata.

    O teste avalia os diferentes níveis de iluminação, possuindo letras maiores e mais escuras que diminuem o tamanho e o contraste.

    Os erros de visão relacionadas a baixa sensibilidade ao contraste podem ser tratados com lentes, óculos ou cirurgia, mas apenas o oftalmologista pode indicar.

    Miopia

    A miopia é a dificuldade de enxergar de longe, por isso este teste exige um pouco mais de esforço. Talvez você já tenha visto no consultório do oftalmologista.

    Chama-se teste de Snellen e para fazê-lo, siga as instruções:

    1. Talvez seja melhor imprimir o teste e pedir a ajuda de um amigo;

    2. Fique a 3 metros de distância da folha impressa ou da tela do computador;

    3. Tape cada um dos seus olhos e fale a sequência até o final;

    4. Com a ajuda do seu amigo, saiba até onde conseguiu acertar ou comemore se foi bem em todos.

    Se você teve dificuldade em alguma das linhas, vá ao oftalmologista, se não teve, vale a pena ir também.

    Astigmatismo

    O astigmatismo é um problema tanto para enxergar de perto quanto de longe. Para fazer esse teste, siga o passo a passo.

    1. Não faça esse teste de óculos;

    2. Se distancie 2m do monitor;

    3. Tape um olho de cada vez;

    4. Caso você enxergue algumas linhas mais nítidas e pretas do que as outras, provavelmente tenha astigmatismo.

    Porém, caso você enxergue todas igualmente deve estar tudo ok.

    Lembrando que esses testes não substituem o diagnostico dos problemas de visão, o melhor mesmo é consultar o oftalmologista. Agende sua consulta online aqui, ou entre em contato conosco.

    Leia mais
  • hipermetropia
    1 de outubro de 2019

    Hipermetropia: veja quais são as causas, sintomas e tratamentos


    A hipermetropia tem como característica a dificuldade de enxergar de perto e é um problema muito comum de visão, mas você sabe por que isso acontece? Saiba mais sobre ela. 

    O que é a hipermetropia?

    Para entender melhor, precisamos saber mais sobre como nosso olho funciona

    Nossos olhos têm a função de captar as imagens e luz e mandá-las para nosso cérebro.

    Quando direcionamos a visão para um objeto, a imagem penetra a córnea e chega à íris que trabalha para regular a quantidade de luz recebida, por intermédio da pupila, então depois chega ao cristalino e é focada pela retina.

    Assim, a imagem é produzida de forma invertida, mas o cérebro converte para a posição correta.

    Hipermetropia

    Essa condição é um problema de refração, assim como a miopia e o astigmatismo.

    O problema acontece porque a anatomia do globo ocular provoca algum desvio nos feixes de luz ambiente que atravessam o olho para formar a imagem, assim impedindo a revelação impecável da imagem na retina.

    O que causa a hipermetropia?

    Como está relacionada a anatomia do olho, provavelmente se deve a um problema genético, ou seja, se possui mãe ou pai com hipermetropia, possui grandes chances de ter também. 

    A anatomia do olho com hipermetropia pode apresentar duas características:

    Refrativa: A hipermetropia refrativa acontece porque a córnea é em formato mais plano e mesmo que o globo ocular esteja em formato normal, isso impede que a imagem se forme onde deveria.

    Axial: Quando o espaço entre a retina e a pupila é mais curto e assim impede que a imagem se forme no local correto.

    Sintomas da hipermetropia

    O maior sintoma é a dificuldade de ver objetos de perto. No entanto, nosso cérebro se esforça para deixar a imagem mais focada possível.

    Assim o cristalino se reacomoda para compensar a visão ruim e acaba compensando a hipermetropia principalmente em grau moderado. 

    No entanto, essa capacidade é maior em pessoas jovens, pois com o passar dos anos a capacidade de acomodação vai se perdendo e a condição se agrava.

    Quando a hipermetropia é mais grave, alguns dos sintomas são:

    • Dor de cabeça frequente;
    • Ardor nos olhos;
    • Dor na região dos olhos;
    • Náuseas.

    Dá para prevenir a hipermetropia?

    Por se tratar de uma condição genética relacionada a anatomia do globo ocular e não a hábitos, portanto não existe uma prevenção relacionada a isso.

    Porém, as visitas ao oftalmologista são uma ótima opção, pois podem levar a um diagnóstico precoce e assim pode iniciar o tratamento antes da condição se agravar.

    Como corrigir a hipermetropia?

    O tratamento para hipermetropia pode ser feito com o uso de lentes refrativas ou mesmo cirurgia, para assim corrigir o problema.

    Lentes refrativas

    As lentes têm a função de compensar o problema na anatomia do olho, tanto o comprimento mais curto quanto a curvatura errada.

    As lentes corretivas podem ser lentes de contato ou de óculos.

    Já a cirurgia age remodelando a curvatura da córnea, no entanto pode não acabar com a necessidade do uso de lente refrativa.

    Veja também:

    http://www.fernandodiogenes.com.br/perguntas-frequentes-sobre-erros-refrativos-cirurgias/
    http://www.fernandodiogenes.com.br/cirurgia-refrativa-o-que-e-e-quais-os-seus-beneficios/

    Gostou do nosso artigo? Deixe seu comentário! Para agendar sua consulta com Dr. Fernando, acesse aqui

    Leia mais
  • doenças comuns em idosos
    12 de setembro de 2019

    6 doenças oculares muito comuns em idosos


    Quando a idade chega, alguns problemas podem vir junto com ela, incluindo na visão. Por isso, nós separamos as doenças oculares mais comuns em idosos para que você possa conferir e ficar atento. 

    1 Presbiopia

    Conhecida também como vista cansada, a presbiopia é uma condição, e não doença, que ocorre com todo mundo após os 40 anos de idade.

    Com a presbiopia a visão perde a qualidade no que diz respeito a objetos próximos e isso acontece principalmente em ambientes sem muita luz.

    Por isso, várias pessoas idosas afastam o que estão lendo do rosto para ver melhor.

    2 Catarata

    Sendo a principal causa de cegueira reversível no mundo, é uma doença muito comum em pessoas de mais idade.

    Sua característica principal é a opacidade do cristalino, que é uma lente natural do olho, isso causa uma visão nublada o que torna mais difícil a execução de tarefas simples do nosso dia a dia, como dirigir, ler ou ver rostos com clareza.

    Aqui nós falamos mais sobre catarata.

    3 Glaucoma

    O glaucoma é uma doença causada pelo aumento da pressão nos olhos. Esse aumento de pressão pode acabar lesionando o nervo ótico e assim causar a perda da visão periférica. 

    Também pode causar a perda total da visão se não for acompanhado ou não tenha o tratamento adequado.

    O glaucoma, assim como diversas outras doenças, deve ser tratado logo no início.

    4 Retinopatia diabética

    A retinopatia diabética afeta pequenos vasos na região da retina. Ela está relacionada principalmente ao descontrole da glicemia e o tempo em que dura a diabetes.

    Isso acontece porque quando o diabetes está descontrolado, a hiperglicemia provoca diversas alterações em nosso corpo, que entre outros, desencadeiam a disfunção desses vasos da retina.

    Se a retinopatia diabética não for diagnosticada e tratada pode levar a cegueira e não há reversão.

    Por isso, para identificá-la é muito importante a visita periódica ao oftalmologista.

    5 Degeneração macular relacionada à idade (DMRI)

    A mácula é o nome dado a uma pequena região que fica localizada na parte central da retina e responsável pela percepção de detalhes na visão.

    A perda da visão ocorre devido a degeneração das células fotorreceptoras na mácula.

    A doença costuma dar indícios apenas quando mais avançada, no entanto, algumas pessoas percebem o embaçamento e, conforme avança, manchas podem se formar no campo central da visão.

    6 Olho seco

    Olho seco é comum em idosos, principalmente em mulheres que passaram pela menopausa, por causa das alterações hormonais.

    Também pode ocorrer devido ao uso crônico de alguns medicamentos, como também caso o indivíduo tenha sido submetido a tratamentos como quimioterapia e radioterapia, alterações senis nas pálpebras, distúrbio no sistema lacrimal e outros fatores que podem causar instabilidade na superfície ocular.

    O que algumas dessas doenças têm de mais comum é a baixa da acuidade da visão e que acometem pessoas durante o envelhecimento.

    A grande preocupação é de que o idoso normalmente interpreta essas doenças como algo comum, assim como muitas vezes a família não percebe e acaba atrapalhando o diagnóstico e tratamento da doença.

    Um dos principais problemas com isso é que os idosos que estão com a visão prejudicada podem acabar sofrendo quedas e consequentemente grandes traumas.

    Por isso é muito importante ficar atento a pessoas queridas de mais idade, observar se ainda conseguem enxergar bem e levá-los ao oftalmologista periodicamente e caso note algum problema. 

    Agende a consulta com o oftalmologista aqui.

    Leia mais
  • exame oftalmológico
    11 de julho de 2019

    Conheça os tipos de tratamento para o Ceratocone


    No Brasil, cerca de 150 mil pessoas são diagnosticadas por ano com ceratocone. A enfermidade pode atingir os dois olhos, mas um deles pode ser mais afetado que o outro. Nesse post você vai saber quais são os tratamentos disponíveis. 

    O Que é Ceratocone?

    Ceratocone é uma doença degenerativa, não inflamatória, que deforma a córnea, tecido transparente e fino que sobrepõe toda a frente do olho.

    Ela é uma doença genética, considerada rara, com evolução lenta e de caráter hereditário.

    Normalmente se manifesta entre as idades de 10 e 25 anos, no entanto, pode progredir até os 40 anos de idade ou se tornar estável com o tempo.

    Simplificadamente, a principal característica do ceratocone é o enfraquecimento do tecido da córnea, ficando mais fina e permitindo o desenvolvimento da deformação em formato de cone.

    Além de proteger o olho, a córnea tem o papel fundamental na formação da visão, pois ela foca os feixes de luz através da pupila para a retina, funcionando como uma lente fixa. 

    Com a curvatura na córnea, a visão é afetada. Uma vez que a saliência formada no olho impede a projeção nítida de imagens na retina, podendo ser desenvolvidas condições como astigmatismo irregular em alto grau e miopia.

    Tratamentos para Ceratocone

    Nós falaremos dos possíveis tratamentos, no entanto, salientamos que é muito importante consultar o oftalmologista.

    Mediante a análise de diversos fatores pelo oftalmologista, será indicado o tratamento para o caso.

    Lentes de Contato

    Enquanto a enfermidade está no seu início é possível recuperar a acuidade visual apenas com o uso de óculos, no entanto, à medida que a doença evolui, eles precisam ser substituídos por lentes de contato.

    As lentes ajudam a corrigir o astigmatismo que o ceratocone provoca a superfície anterior da córnea.

    A lente pode ser rígida ou semirrígida, conforme indicada pelo médico, de acordo com a situação em que o ceratocone se encontra.

    Crosslinking

    O objetivo desse tratamento é fortalecer as moléculas de colágeno da córnea e impedir a evolução do ceratocone.

    A técnica é mais indicada quando a doença é descoberta no início, quando ainda está em desenvolvimento.  

    Ela consiste em endurecer o tecido corneano enfraquecido, resultando em uma visão melhor.

    Transplante de Córnea

    Em nosso país, o ceratocone é o maior responsável pelos transplantes de córnea, cerca de 80% dos casos. O transplante é indicado quando os tratamentos menos invasivos não podem ser feitos.

    O transplante normalmente é indicado quando a doença está muito avançada, no entanto, apenas o médico pode indicar.

    Anéis Intracorneanos

    Se tem ceratocone e tem como característica o astigmatismo irregular e os óculos tendem a não ser mais eficazes, torna-se necessário o uso de lentes específicas para a doença, lentes de contato rígidas.

    Normalmente indicado para pacientes que não se adaptam bem ao uso das lentes específicas, não as considerando confortáveis, mesmo que consigam ter uma excelente visão.

    Uma alternativa é o implante de anéis intracorneanos.  Eles funcionam como um dispositivo para achatar a curva causada pela doença.

    A cirurgia possibilita a restauração do formato, o retardamento do progresso e reduz a necessidade de transplante.

    Para saber mais sobre ceratocone acesse aqui.

    Para agendar uma consulta, entre em contato conosco

    Leia mais